Convenção do PSOL oficializa a candidatura de Elson a prefeito e Afrânio, vereador.

“Com a vitalidade de quem enfrenta uma eleição pela primeira vez na vida, asseguro que mais do que nunca estou empolgado para encarar mais uma campanha e defender a democracia e ajudar a transformar Florianópolis”, disse o economista e professor Afrânio Boppré ao aceitar a indicação para disputar a Câmara de Vereadores nas eleições municipais em novembro. Com a participação de mais de 150 filiados, o PSOL de Florianópolis, por meio de uma convenção virtual, decidiu na tarde deste sábado (5), sua chapa de candidatos a vereador e aclamou a indicação do professor Elson Pereira para a disputa da prefeitura.

Elson fez um convite pela unidade do PSOL para construir a unidade das forças democráticas e populares de Florianópolis e assegurar a vitória eleitoral nas eleições. “Contem comigo para construir essa utopia de uma cidade, de fato, voltada para o seu povo”, disse ele. O PSOL deve agora, buscar com os demais Partidos que integram a Frente Floripa, o melhor nome para completar a chapa majoritária, com o candidato a vice-prefeito.

Afrânio destacou a imensa tarefa que tem o Partido neste momento: “Será uma eleição totalmente diferente, em função da pandemia, que exigirá de cada um de nós um esforço redobrado para derrotar as forças do atraso e defender os direitos da cidadania”, disse ele, ressaltando a diversidade, pluralidade e espírito de luta da chapa de candidatos a vereador do Partido. “Vamos eleger uma forte bancada que irá apoiar e colaborar na gestão do Elson na prefeitura”, apostou Afrânio.

Neste domingo (6), o PSOL realiza a convenção formal, em reunião do Diretório, para cumprir as exigências da Justiça Eleitoral, com todos os cuidados sanitários exigidos.

Afrânio, um lutador da gente

AFRÂNIO Boppré nasceu em Florianópolis em 1960. Estudou em escola pública e formou-se em Economia pela UFSC. Na universidade, iniciou a militância política, tendo sido presidente do Centro Acadêmico Livre de Economia e participando da reconstrução da UNE, que estava na clandestinidade. Na UFSC, Afrânio concluiu, recentemente, o Mestrado e hoje é doutorando em Geografia.

Fundou e dirigiu, em Santa Catarina, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos de Santa Catarina (DIEESE), assessorando e apoiando a luta de centenas de entidades sindicais no Estado.

Foi professor substituto de Economia na UFSC e de diversas cadeiras na Cesusc.

É um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) em Florianópolis. Em 1996, elegeu-se vice-prefeito de Florianópolis na chapa liderada pelo também professor, Sérgio Grando. Ambos entraram para a história realizando uma gestão marcada pela experiência democrática e por ações em favor da maioria da população.

Foi deputado estadual entre 2000 e 2006. Em 2005, sai do PT e parte para a construção do recém-fundado Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).

No PSOL, coordenou a campanha presidencial de Plínio de Arruda Sampaio (2010) e posteriormente, assumiu a presidência do Partido no País.

Em 2012, elegeu-se vereador em Florianópolis, com 3.132 votos. Foi a principal voz da oposição, em uma atuação exemplar que lhe rendeu, na eleição seguinte, a terceira maior votação da Cidade, com 5.432 votos.

É casado com Maria Cristini, com quem tem um filho, Gabriel.